Mercearia Cuiabá

Antigamente, era comum ouvir alguém dizer, vou ali comprar café no “mercadinho do Seu Manuel”, ou pega uma dúzia de ovos lá na “venda do Seu Antônio e anota na caderneta”…

A Mercearia Cuiabá, abriu “suas páginas” em 1965, no bairro Prado, em Belo Horizonte. Comandada pelo analista de bolsa de valores, hoje aposentado, João Augusto de Oliveira e seus fiéis ajudantes, os irmãos, Sebastião (Tião) e Erlei. Juntos a mais de 4 décadas, conquistaram o carinho de muitos clientes e visionários anteciparam o hoje conhecido delivery.

Por lá se encontra de tudo um pouco, de comida e bebidas a produtos de higiene e objetos de uso pessoal. Já o atendimento, geralmente é bem pessoal. Você é um cliente especial, é chamado pelo nome.

Os desgastados caderninhos usados para anotar 70% das vendas, mostram a proximidade entre quem vende e quem compra, permitindo negociações na base da confiança e consideração, principalmente aos clientes mais antigos, que com o passar dos anos vão se tornando bons e inesquecíveis amigos.

Atualmente, já não podem competir com os grandes. E com a mente tranquila de trabalho cumprido mas também com lágrimas nos olhos, emocionados, informam aos clientes agora amigos que em breve “suas páginas” estarão fechadas.

© Todos os direitos reservados.

13 Respostas to “Mercearia Cuiabá”

  1. João Augusto de Oliveira Says:

    Adorei o trabalho. Foram fotografados detalhes que já

    estão só na saudade. Obrigado Mariela.

    João Augusto

    • Ei João .. foi um prazer poder documentar tanta história !!
      Que vocês sejam ainda mais felizes pelos novos caminhos ..
      Abraços

      • A Mercearia Cuibá foi um ponto de apôi para grande parte das famílias do Prado e adjacências. O atendimento amistoso que carcterizou a relação com os clíentes certamente deixará saudades.

        Sinval, Júlia, Daniel e Beto.

  2. Muitos do Prado teram SIM..Saudades!!! NAO SO DA MERCEARIA CUIABA!! Principalmente dos amigos, ERLEI E TIAOZINHO…….SONIA E MARLI

  3. liliane belmiro Says:

    Adorei o trabalho,mercearia cuiaba vai ficar na memoria de muitos que passaram por lá.

  4. Ana Maria de Oliveira Costa Says:

    mercearia Cuiaba boas recordacoes

  5. Não moro mais em BH, mas a Mercearia Cuiabá fez parte de minha historia de vida. Sempre que ia visitar minha mãe, D. Orlandina,( uma das mais antigas freguesas e amiga da turma do Erlei/Tião/João) fazia parte do ” matar as saudades” ir comprar algo no “Erlei”. Aliás, nunca fui na Mercearia Cuiabá, sempre fui no “Erlei.” Sempre esteve no roteiro das minhas visitas a BH, rever os amigos do “Erlei”. Nunca pensei que um dia indo a BH não poderia mais ir no “Erlei”.
    Mas, a modernidade, mais uma vez, venceu e nos tirou, talvez, o único lugarzinho no mundo que ainda nos mantinha em contato com um passado onde a amizade prevalecia sobre os valores de contas de cadernetas.
    Que bom que tivemos o privilégio de ter o ” Erlei” como parte de nossas histórias de vidas e de tempos que não voltam mais. Que bom que tivemos o privilégio de ter o ” Erlei” para sempre em nossos corações.
    Com carinhos a todos que fizeram parte do ” Erlei”. Jussara.

  6. Sarinha, neta da Dona Binoca Says:

    Minha infância na casa da minha avó sempre foi lado a lado com a mercearia Cuiabá. Eu nem sabia que chamava mercearia Cuiabá, sempre falavam:” Vai lá no Erlei. Se o Erlei nao estiver lá, está o Tião.” Me lembro do cheiro de chiclete com verdura e os rostos receptivos do Tiao e Erlei. Me lembro dos primos apostando corrida até lá pra ver quem pegava o picole primeiro. Acho que todos os refrigerantes que tomei nas férias vinham de lá. Na minha ultima visita a BH depois de muito tempo, fomos lá, como se para visitar família. Lé estavam, mais velhos do que eu me lembrava mas igualzinhos, Tião e Erlei com o mesmo sorriso e receptividade. Uma pena não estarem lá nas próximas férias.

  7. Sensacional!!!! A saudade é muito grande!

  8. Nadia Campolina Says:

    Eu sou Nadia, mãe do Bernardo que é filho do Aruanan e neto da Dona Orlandina (Binoca). Lamento que o Erlei e Tião vão fechar. Fazem parte da história da minha vida, quando era jovem ainda e comecei a namorar e a gente sempre fazia alguma compra, abriam até no domingo. Não moro mais em BH, mas meu filho ainda é vizinho e sempre que vou visitar passo por lá. Quando criança ele sempre ia lá, como disse a Sarinha (depoimento acima) para comprar qualquer delícia. Um dia ele foi correndo tanto e tão aflito que chegou lá sentiu uma vertigem e desmaiou. Erlei e Tião socorreram com o maior carinho. Talvez eles não se lembrem, mas jamais me esqueci. Portanto eles são muito mais do que uma mercearia, são o afeto e a história, daqueles que lembram interior .

  9. João ,Erlei e Tiãozinho.

    Foi com muita tristeza que recebemos a notícia que vocês iriam embora,todos nós sentimos aquele aperto no peito.

    Saibam que vocês fazem parte da nossa história .Cresci vendo a mamãe,todas manhãs, ligar para o Erlei para fazer pedidos.E,eram todos atendidos a tempo e com muito carinho.Casei,mudei,mas continuei indo ao” Tiãozinho”.Meus filhos,Gabriel e Laura,também cresceram indo ao “Tiãozinho”.Ontem,ao visitar a vovó,assim que desceu do carro,o Gabriel falou:”peraí,mãe,vou só ali no Tiãzinho pegar um picolé…”

    Que pena,vocês vão deixar saudades,muitas saudades…Obrigada por tudo e um grande abraço!

    Renata.

  10. Maria Luiza Says:

    Em 1968, quando mudamos para a rua Selênio, já encontramos funcionando a Merceria Cuiabá, que nos recebeu de braços abertos e, ao longo desses 43 anos foi, para nós, um prolongamento do nosso própio lar. Ali tivemos sempre atendimento afável, mercadorias variadas e de excelente qualidade, o interessante sistema de “cadernetas”, para o pagamento no fim do mês, demonstrando a grande confiança que o João sempre depositou em seus incontáveis fregueses e a certeza de que necessitando de algum produto, por mais insignificante que fosse, era só pedir, por telefone, que logo seríamos atendidos.
    Tião e Erlei, que conhecemos bem jovens, davam mais vida à Mercearia, com seu excelente atendimento, alegria e disposição para um bate-papo, quando o tempo assim o permitia.
    Por isso tudo, só temos que agradecer ao João, ao Tião e ao Erlei pelo tempo feliz de nossa convivência na Merceria Cuiabá. Maria Luiza, Ary e filhos.

  11. Quem quiser ver Tiaozinho e Erlei é só ir ao Churrasquinho do Luizinho… Saudades da Mercearia Cuiabá… Raquel

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: